Ana Furtado reforça recomendação para mamografia

segunda-feira | 4 de junho de 2018

Apresentadora e atriz identificou alterações na mama através do autoexame e mamografia

A apresentadora e atriz Ana Furtado divulgou em suas redes sociais que diagnosticou um câncer de mama em estágio inicial através do autoexame, seguido da mamografia. A Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) se solidariza com a atriz e reforça a importância de toda mulher realizar a mamografia a partir dos 40 anos e visitar o mastologista regularmente. Esta é a melhor forma de identificar o diagnóstico precoce, que aumentam as chances de cura em até 95%.

A SBM recomenda que a mulher possa e deva se autoexaminar, uma vez que conhecer o próprio corpo faz parte da obrigação de cada indivíduo. Porém, a mamografia é o único método que demonstrou, através de estudos, reduzir a mortalidade por câncer de mama. “Este exame é capaz de identificar microcalcificações que podem representar o sinal mais precoce de malignidade ou nódulos menores que 1 centímetro, que não é possível palpar clinicamente”, explica o Antonio Frasson, presidente da SBM. Vale ressaltar que um tumor leva, em média, 10 anos para alcançar 1 cm, porém a cada seis meses ele dobra de tamanho.

Quanto à recomendação de realização da mamografia nas mulheres entre 40 e 49 anos, a SBM ressalta que, considerando que 25% das mulheres brasileiras que terão câncer de mama estarão nessa faixa etária, há um benefício real, já que um número expressivo poderá ser salvo. “Além disso, o estudo canadense publicado pela revista científica JNCI da Oxford University Press confirma uma redução média da mortalidade de 40% nas mulheres que fizeram a mamografia a partir dos 40 anos”, completa Frasson.

 

Desta forma, a SBM entende que o benefício da mamografia é muito maior do que o risco, uma vez que seria possível, com base nestes estudos, evitar a morte de mais de mil brasileiras por ano, das mais de 13 mil mulheres entre 40 e 49 anos, que são acometidas pelo câncer de mama nesta faixa etária. “Precisamos reforçar também que a mulher que percebe qualquer alteração na mama não deve ter medo e deve buscar se consultar com um médico imediatamente. Esta é uma forma de evitar tumores avançados e aumentar a sobrevida”, frisa o médico.

A mamografia é um direito da mulher brasileira, conforme a Lei Nº 11.664, de 29 de abril de 2008, sancionada pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Recentemente, o Senado Federal derrubou a portaria que impedia a garantia dessa lei, que determina que toda mulher entre 40 e 49 anos tenha acesso à mamografia para o rastreamento de câncer pelo Sistema Único de Saúde (SUS).