Nova droga aprovada nos EUA melhora qualidade de vida de pacientes em tratamento do câncer de mama


O FDA, agência dos Estados Unidos que controla alimentos e medicamentos, aprovou esta semana uma nova terapia biológica para o tratamento do câncer de mama precoce e metastático HER2 positivo. A droga chamada Phesgo™ é uma combinação de dose fixa de Perjeta®  (pertuzumab) e Herceptin® (trastuzumab) com hialuronidase, administrada por injeção subcutânea (sob a pele) em combinação com quimioterapia intravenosa (IV). É a primeira vez que esses dois anticorpos monoclonais são combinados e podem ser administrados por uma única injeção (na barriga ou perna). Pesquisadores da Sociedade Brasileira de Mastologia participam dos testes de eficiência do novo medicamento.

 

De acordo com o coordenador do Serviço de Mastologia e Pesquisa Clínica do Hospital Conceição e diretor da Sociedade Brasileira de Mastologia, José Luiz Pedrini, trata-se de uma nova esperança na ajuda daquelas mulheres que têm o retorno da doença após esgotar vários tratamentos sem sucesso em câncer de mama HER2-positivo metastático.

 

“Esta é uma terapia biológica, que combina dois anticorpos – uma espécie de vacina – com um quimioterápico dirigido à célula tumoral e com efeitos colaterais bem controlados. Isso faz com que a mulher tenha uma melhor qualidade de vida com menos efeitos colaterais como a queda dos cabelos, por exemplo”, explica Pedrini, completando que em breve a droga será aprovada pela Anvisa. No Hospital Conceição, oito mulheres estão sendo testadas: quatro pelo via subcutânea e quatro via endovenosa.

 

O estudo mostrou que 85% das 160 pessoas que receberam o tratamento para câncer de mama HER2-positivo preferiram a injeção sob a pele à administração IV. “A aplicação do medicamento subcutânea leva menos tempo e pode ser feito em qualquer ambulatório ao passo que a administração atual só pode ser feita no hospital onde a paciente se trata. Isso torna o tratamento mais confortável”, conclui o pesquisador.