Estilo de vida saudável previne câncer de mama


Sociedade Brasileira de Mastologia lança movimento QUANTO ANTES MELHOR alertando

a população para adoção de melhores hábitos que levam à uma vida com mais qualidade

 

Diante de um cenário atípico por conta da pandemia do covid-19, neste Outubro Rosa 2020, a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) vem alertar o público sobre a importância de celebrar a vida. Para isso, lança o movimento de conscientização QUANTO ANTES MELHOR, cujas mensagens principais são a adoção de um estilo de vida que compreenda a prática de atividades físicas, alimentação saudável, visitas regulares ao médico, exames preventivos e, quando preciso, o início do tratamento logo após o diagnóstico. Quanto mais cedo isso for feito melhor para a saúde da mulher.

 

De acordo com o presidente da SBM, Dr. Vilmar Marques, todas essas medidas são fatores que previnem várias doenças, dentre elas, o câncer de mama. Segundo ele, num ano tão difícil como este, a SBM quer reforçar que há muita vida após o câncer de mama e que o cuidado com a saúde deve ser constante, principalmente neste momento em que o rastreamento e o tratamento foram prejudicados e, em alguns lugares, ainda sendo gradativamente retomados por conta da pandemia.

 

Segundo o presidente, o movimento deste ano será totalmente online e focará na disseminação da informação. Ele lembra que diversos estudos, por exemplo, revelam que o sobrepeso e a obesidade, além da falta de atividades físicas no dia a dia, aumentam os riscos para câncer de mama e ainda proporcionam uma má qualidade de vida para quem está em tratamento. “Nosso alerta é para QUANTO ANTES mudar o estilo de vida MELHOR para a saúde e isso envolve exercícios, alimentação saudável e a consciência da saúde preventiva como um todo”, afirma ele, completando que o acompanhamento com o mastologista e a realização da mamografia anual nas mulheres a partir dos 40 anos é igualmente importante e está dentro desse contexto.

 

Em relação à pandemia de Covid-19, ele destaca a preocupação da entidade com a interrupção do rastreamento, exames e tratamentos. A SBM recomenda que nas regiões onde o pico da doença tenha diminuído, os casos estejam estabilizados e com certa flexibilização, as mulheres retomem seus exames e tratamentos, desde que seguindo as medidas de segurança. “Uma vez deixando de fazer o rastreamento, não identificando um tumor inicial com alta chance de cura, pode resultar em um diagnóstico tardio e em estágio mais avançado e isso preocupa. Da mesma forma as pacientes que estão em tratamento é fundamental o prosseguimento”, explica o médico.

 

Já nas regiões com alta incidência da pandemia, o mais correto é que as mulheres não consideradas urgentes, assintomáticas ou que fazem controle por alterações benignas aguardem o momento de pico passar. No entanto, nos casos com suspeita de um nódulo palpável não se deve postergar e buscar atendimento imediatamente para fazer o diagnóstico. “A pandemia gera uma sensação de insegurança e muitas mulheres deixaram de ir ao consultório. Isso é natural, mas é preciso retomar o rastreamento o quanto antes para evitar casos avançados no futuro”, conclui Dr. Vilmar.

 

DICAS de HÁBITOS IDEAIS PARA UMA ROTINA SAUDÁVEL:

 

 

 

 

 

  • Alimente-se bem e não fique muito tempo sem comer, ou seja, prefira comer de três em três horas, em pequenas quantidades, sempre priorizando os alimentos naturais e evitando os alimentos industrializados.
  • Evite o excesso de gorduras e carboidratos simples, como açúcar adicionado aos alimentos, doces, sucos de caixinha ou saquinho, refrigerantes, pão branco, macarrão, sempre preferindo as opções integrais.
  • Procure ingerir proteínas de boa qualidade, principalmente frutas, legumes e verduras por serem fontes de vitaminas e minerais essenciais e ricas em fibras que ajudam na saciedade e no funcionamento adequado do intestino.
  • Faça exercícios físicos durante a semana. O ideal são 150 minutos de exercícios físicos moderados divididos entre os cinco dias ou 75 minutos de exercícios vigorosos divididos pelos dias da semana.
  • Planeje o seu dia alimentar e tente segui-lo.

 

 

OUTRAS INFORMAÇÕES IMPORTANTES:

Quais as principais causas para o câncer de mama?

Os fatores de risco para desenvolvimento do câncer de mama podem ser modificáveis (relacionados aos hábitos de vida, portanto as pessoas podem alterar) e não modificáveis (são inerentes às pessoas e não podem ser alterados por vias conhecidas).

Modificáveis – faça uma alimentação equilibrada (com carboidrato, proteína e salada) e não pule refeições; faça exercícios físicos durante a semana (150 minutos de atividades moderadas divididas entre os cinco dias ou 75 minutos de exercícios vigorosos divididos entre os cinco dias), gravidez após os 35 anos.

Não modificáveis – idade: os casos de câncer de mama aumentam após os 50 anos; raça e etnia: as taxas de incidência e mortalidade são maiores entre mulheres brancas e menores em mulheres hispânicas e de etnia asiática; início da menstruação antes dos 12 anos, menopausa tardia, história familiar para câncer de ovário ou de mama, alta densidade mamária e mutações genéticas (BRCA1 e BRCA2) não podem ser modificados.

Quais os principais sintomas causados pelo câncer de mama?

Na maioria dos casos, o câncer de mama se manifesta com um caroço ou local endurecido, mas também pode se apresentar de outras formas: vermelhidão e pele endurecida; feridas que não cicatrizam e coceiras que não melhoram; áreas estufadas (abaulamento) e covinha (retração); saída de líquido do bico do peito (sem apertar) de cor vermelha ou transparente como a água.

Qual a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama?

A melhor maneira de enfrentar o câncer de mama é através do diagnóstico precoce, ou seja, quanto mais cedo identificar tumores menores e sem comprometimento da axila, maiores são as chances de cura. Daí a importância do rastreamento mamográfico, que possibilita identificar pequenos cânceres em mulheres assintomáticas (sem sintomas), que realizam mamografia de rotina. Os tumores detectados clinicamente são maiores (em média 2,6 cm) do que os achados no rastreamento mamográfico (em média 1,5 cm), além de serem mais propensos a mostrar metástases axilares (entre 18% e 45% dos casos) do que os detectados no rastreamento (entre 18% e 25%).

Por meio de quais exames o diagnóstico é realizado?

A mamografia é o exame mais indicado para detectar a doença precocemente, já que é capaz de identificar lesões que ainda não podem ser palpadas clinicamente (menores de 1cm). Quanto antes detectada a doença as chances de cura podem chegar a 95%. A Sociedade Brasileira de Mastologia recomenda realizar a mamografia anualmente a partir dos 40 anos para a população geral e, alguns anos antes, para alguns casos específicos de alto risco. As pacientes que apresentam mamas densas, com grande proporção de tecido glandular, devem realizar também a ultrassonografia mamária em conjunto com a mamografia. Em alguns casos a ressonância de mamas pode ser indicada. Na presença de alguma alteração suspeita, deve ser realizada uma biópsia.

Como prevenir o câncer de mama nas mulheres?

Considerando os fatores passíveis de intervenção (respondido na questão 1), é possível prevenir o câncer mantendo peso saudável, dieta balanceada, prática de atividade física, amamentação, além de não fumar e não ingerir bebidas alcoólicas em excesso. Para mulheres na menopausa, é aconselhável fazer reposição hormonal apenas quando necessário, sob orientação médica. No caso de haver história familiar para câncer de mama ou ovário, o que pode e deve ser feito é uma investigação para identificar a possível presença de uma predisposição genética hereditária e, com base nesta avaliação, tomar decisões sobre intervenções redutoras de risco. Estima-se que por meio da alimentação, nutrição e atividade física é possível reduzir em até 28% o risco de se desenvolver a doença.

 Atualmente, quantas mulheres têm câncer de mama no Brasil?

São esperados cerca de 66.280 novos casos no Brasil em 2020, segundo o INCA – Instituto Nacional de Câncer. O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação desordenada de células da mama. Esse processo gera células anormais que se multiplicam, formando um tumor. Há vários tipos de câncer de mama. Por isso, a doença pode evoluir de diferentes formas. Alguns tipos têm desenvolvimento rápido, enquanto outros crescem mais lentamente. Esses comportamentos distintos se devem às características

próprias de cada tumor. O câncer de mama também acomete homens, porém é raro, representando apenas 1% do total de casos da doença.

não são eficazes. Assim, é alto o número de diagnósticos de tumores em fase avançada.

Como é o comportamento atual das mulheres em relação à doença?

O comportamento da mulher precisa melhorar. Muitas não procuram o acompanhamento médico e outras realizam exames, mas não vão buscar o resultado. O motivo também tem a ver com a falta de conhecimento, medo do diagnóstico, informações equivocadas etc. Há muitos mitos sobre o assunto e as mulheres se impressionam, se amedrontam e acabam não se cuidando preventivamente. Mas asseguro que a prevenção é o melhor caminho. Não é preciso ter medo do diagnóstico e da dor durante a mamografia.

A prevenção primária deve iniciar, de preferência, ainda jovem e refere-se a evitar o excesso de peso, especialmente na região abdominal, dar preferência a alimentos saudáveis com pouca ingestão de gordura e álcool, assim como praticar atividades físicas, principalmente os exercícios aeróbicos diariamente. Estima-se que por meio da alimentação, nutrição e atividade física é possível reduzir em até 28% o risco de desenvolver a doença.