fbpx Exame de sangue ajuda no diagnóstico precoce de câncer de mama, aponta estudo - SBM

Exame de sangue ajuda no diagnóstico precoce de câncer de mama, aponta estudo

quinta-feira | 7 de novembro de 2019

Um estudo apresentado nesta semana na Conferência do Instituto Nacional de Pesquisa sobre o Câncer do Reino Unido mostrou que é possível detectar o câncer de mama por meio de exame de sangue até cinco anos antes dele demonstrar sinais clínicos, como os nódulos.

As células cancerígenas produzem algumas proteínas, que são chamadas de antígenos. Estas proteínas estranhas incentivam o organismo a produzir anticorpos para atacá-las (autoanticorpos). Os pesquisadores da Universidade de Nottingham (Reino Unido) descobriram que antígenos associados a tumores são bons indicadores de câncer.

Os cientistas desenvolveram painéis de antígenos já conhecidos como associados ao câncer de mama para detectar se existem ou não autoanticorpos contra eles em amostras de sangue coletadas de pacientes.

Foram coletadas amostras de sangue de 90 pacientes com câncer de mama no momento em que estes foram diagnosticados com o tumor. Outras 90 amostras de pessoas sem o diagnóstico de câncer de mama foram colhidos para a comparação.

— Precisamos desenvolver e validar ainda mais esse teste — diz Daniyah Alfattani, uma das pesquisadoras do grupo, que completou:

— No entanto, esses resultados são encorajadores e indicam que é possível detectar um sinal de câncer de mama precoce. Depois de melhorarmos a precisão do teste, abre-se a possibilidade de usar um simples exame de sangue para melhorar a detecção precoce da doença.

O próximo passo da pesquisa é analisar as amostras de sangue de 800 pacientes.

Resultados devem ser mais precisos

Apesar de promissoras, as técnicas usadas no estudo precisam apresentar resultados mais precisos. A precisão do teste melhorou nos painéis que continham mais antígenos relacionados a tumores da mama. O maior painel — composto por nove antígenos — identificou corretamente o tumor em 37% das amostras de câncer e nenhuma doença em 79% das amostras do grupo de controle.

Para Vilmar Marques, médico mastologista e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia, os resultados ainda estão aquém do necessário para implantar este tipo de teste no calendário de rastreio do câncer de mama.

— Os resultados deste estudo piloto não foram capazes de identificar o tumor em 63% dos pacientes que já tinham sido diagnosticados com a doença. Mas estes resultados vão melhorar no futuro, com identificação de mais antígenos associados a tumores.

Para o especialista, assim como para os cientistas, a descoberta de um teste que possa identificar sinais de câncer de mama trará muitos benefícios para o diagnóstico da doença.

— Um exame de sangue para detecção precoce do câncer seria barato e muito útil em países de baixa e média renda — pondera Alfattani.

Marques destaca que um teste como este facilitaria o diagnóstico precoce de tumores e aumentaria as chances de sucesso do tratamento.

— A partir deste teste, podemos encaminhar o paciente para exames de rastreamento mais precisos e fazer um tratamento mais eficaz e menos agressivo — finaliza Marques.

 

Fonte: Jornal Extra e Jornal O Globo