Entenda a relação entre bebidas alcoólicas e câncer

sexta-feira | 2 de julho de 2021

No Brasil, 42% dos entrevistados relataram um aumento significativo do consumo de álcool durante o isolamento.

Um estudo revelou que 42% dos brasileiros relataram aumento no consumo de álcool durante a pandemia, sendo que a maior parte desse público é formado por jovens. De acordo com os entrevistados, a causas está ligada ao aumento de quadros de ansiedade durante o período de isolamento.

O que muitas pessoas não sabem, é que além das consequências do vício, segundo especialistas, o alto consumo de bebidas alcoólicas gera um maior risco para o surgimento de câncer.

A imposição do isolamento físico  durante a pandemia modificou a convivência, e por esse motivo, casos graves de ansiedade tiveram alta de 73%. Este quadro clínico colabora para o aumento do consumo de bebidas alcoólicas entre os jovens, de acordo com estudo realizado em 33 países pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), a ingestão de bebidas alcoólicas aumenta o risco de desenvolvimento de vários tipos de câncer, como, por exemplo, o de boca, faringe, laringe, esôfago, estômago, intestino e mama.

A oncologista Carolina Conopca, reforça a importância de diminuir ou abandonar o alto consumo de bebidas alcoólicas para evitar problemas graves.

“É preciso evitar todas as bebidas alcoólicas, visto que a maioria dos ingredientes desses produtos têm efeito cancerígeno sobre as células. Além disso, é preciso alertar para a relação dose-resposta, que consiste em quanto maior a quantidade ingerida e o tempo de exposição, maior será o risco de desenvolver algum tipo de câncer”, explica.
Bons hábitos durante a pandemia
Diante do crescimento de quadros de ansiedade, como revelado no estudo da OPAS, é de suma importância criar escapes saudáveis para driblar o distúrbio e tratar o vício em bebidas alcoólicas. A oncologista, afirma, também, a necessidade de um acompanhamento médico neste período, a fim de solucionar os dois problemas.

“O suporte clínico especializado proporciona um direcionamento profissional para o tratamento do vício. Alguns hábitos, como por exemplo, dormir bem, controlar o acesso à informações pesadas, utilizar as redes sociais com moderação, participar de grupos sociais e praticar atividades físicas podem auxiliar a proporcionar mais bem-estar e controle do vício. Para assim, diminuir também os risco de câncer”, afirma.

 

FONTE: FOLHA VITÓRIA